Emendas Mecânicas

Conforme prometido na matéria anterior ( referente a Emendas, Tipos e suas Especificidades ) daremos sequência desta vez falando sobre Emendas Mecânicas:

São denominadas como Emendas Mecânicas todas as efetuadas com um ligador externo mecânico quando não é possível um empalme vulcanizado. As emendas mecânicas Baruck são aplicadas por meio de equipamentos especializados, específicos para empalmes e com isso garantimos uma maior precisão de esquadro e conseguimos ajustar a pressão do grampo para diâmetros muito baixos de cilindros.

Na imagem; Grampo Farpa.
Na imagem; Grampo Agrafe.

As Emendas Mecânicas em correias transmissoras de potência ou transportadoras em serviços leves e pesados, com ou sem abaulamento. Permitem abrir a correia no próprio local de trabalho para manutenção ou limpeza do equipamento, removendo somente o cabo de união da mesma.

Contamos com Emendas manufaturadas em Aço inox que podem ter contato com água sem apresentar desgaste. Nossa equipe está preparada para aplicar esse tipo de emendas em nossas instalações ou em campo no equipamento do cliente.

Problemas comuns com Emendas

Como já mencionado, ao realizar a emenda na correia cria-se um ponto de fraqueza na composição da peça, e com isso nascem os problemas. Os rompimentos de emenda ocorrem por diversos motivos, abaixo vamos listar 3 principais:

  • Ataque Químico
  • Inobservância dos diâmetros mínimos de curvatura
  • Temperatura de trabalho

Ataque Químico

Correias em aplicações de alta oleosidade, ataque ácido, ou excesso de abrasividade  podem sofrer rompimento na emenda, sempre começando pelas laterais e, se não cuidados, levam ao rompimento total.

Inobservância dos diâmetros mínimos de curvatura

As correias tem em seus dados técnicos capacidades de curvatura máxima que variam de acordo com os modelos. Quando essa restrição de curvatura não é respeitada a composição da correia é danificada e, por consequência, o rompimento característico neste caso é um descolamento total das abas da emenda.

Temperatura de Trabalho

As correias são feitas de polímeros que possuem temperatura máxima de trabalho, quando a atingem, sofrem danos que alteram sua composição. A inobservância da temperatura máxima de trabalho ocasiona a queima do polímero no momento da vulcanização ocorrendo assim também o amarelamento dos compostos e posterior rompimento.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *