Série: Aprender para Cuidar

Durabilidade das Correias Transportadoras:

Dando sequência ao nosso assunto, essa semana iremos abordar mais dois aspectos fundamentais no que tange a durabilidade das correias transportadoras, iniciaremos com a:

3- Classe de Força das Correias;

É fato que os fabricantes, em sua maioria, quando estão projetando o transportador não se apegam ao correto cálculo de durabilidade da correia, pois o desgaste desta é normalmente julgado e condenado pela acusação de má qualidade do fornecedor.
Em muitos casos esse desgaste excessivo se inicia na fase de projeto do equipamento, quando na escolha da correia não observa a classe de força adequada e o resultado é uma correia com fator de segurança baixo, que acarreta a maioria dos problemas.
A classe de força pode ser prevista através de um fator derivado da tensão de serviço, tensão de acionamento, fator de segurança (mínimo de
80% e máximo de 120%) além também da largura da correia.

Importante lembrar que você pode sempre consultar nosso time para determinar a Classe de força ideal da sua correia clicando aqui

4- Largura total disponível.

É imprescindível que, ao determinar o tipo da correia, seja considerado a largura útil da mesma. Esse fator é determinante para a escolha do tipo adequado, caso não haja uma má observação nesta área que, pode ser pré determinada pelo chute de entrada, a concentração do material transportado pode causar desgaste excessivo e limitado, sendo assim por fim resultando na troca da correia.
A Baruck produz soluções personalizadas para este tipo de demanda através das correias fora de padrão. 

Conheça já nossa linha linha completa! Além disso, acompanhe nossas redes sociais Instagram, Facebook e Site Oficial para saber mais sobre o nosso mundo e o melhor em relação a tecnologia de qualidade!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *